segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

Em Madri


Em Madri as pessoas fumam em todos os lugares, dentro e fora. Não interessa se você está jantando ou não. Se te incomoda ou não. Os incomodados que se retirem. E pronto. Aqui se come pão, muito pão. Pão no café da manhã, pão no almoço, pão na janta... Aqui se bebe em casa. Também se bebe na rua, mas aí é só pra dar uma calibrada. A birita, nos bares e restaurantes é muito, muito cara. No supermercado é até mais barato do que no Brasil. Os jovens enchem a cara e saem pra rua. Os coroas saem e vão pra casa encher a cara. Ê povo que bebe! O vinho é muito barato nos mercados, assim como o vermut, o conhaque, o rum... A água que se bebe é da torneira, sempre. Ninguém, digo, quase ninguém, compra água mineral. E ainda não vi nenhum filtro por aqui. A vida noturna começa muito tarde. Aqui se ouve boa música de graça. Quer dizer, de graça, não. Você terá, no mínimo, que agüentar as nuvens de fumaça e o cheiro de cigarro impregnado na roupa. A cidade é completamente enfestada de velhinhos. Eles estão por todos os lados! Pra onde você olhar, lá estará um exemplar da espécie. Tem muito gringo também, naturalmente. Há muitos, muitos chineses. Eles são donos de lojinhas onde você encontra absolutamente tudo. Digo, tudo mesmo. Eu, particularmente, adoro os chinos. Eles vendem cerveja clandestina de madrugada, abrem aos domingos e não fecham na hora da siesta. Não são bobos nem nada. O transporte público funciona que é uma beleza. O metrô é uma maravilha, tirando o fato que os funcionários da limpeza estão em greve há uns quinze dias e as estações estão imundas e nojentas. Mas isso a gente releva. É só tomar cuidado pra não encostar em nada... Adoro andar de metrô! Me sinto uma ratazana percorrendo o subterrâneo da cidade, totalmente underground. Quem preferir pode andar de ônibus, esses funcionam também e você pode ver a luz do dia - se der sorte de o sol resolver aparecer. É que os invernos são bastantes cinzas. Ah, e não há vagas em lugar algum. Sendo assim, não consigo ver grande utilidade em se ter um automóvel. Claro que se você tiver garagem em casa e no trabalho, aí assim. No mais, é mó trampo, mó prejú. Os espanhóis não são tão bonitos como se imagina. Ou como eu imaginava, pelo menos. Acho que eles ainda não foram apresentados ao aparelho ortodôntico. A quantidade de gente dentuça é uma coisa incalculável. Sério. E, no mais, tem um tipo de feição aqui, bastante peculiar, que se vê por todos os lados. Parece que são todos da mesma família. Têm uma caraça assim, meio banal. Meio óbvia, sei lá. Cara de espanhol. Mudando de assunto, aqui ainda não descobriram a picanha também... é uma pena! Aliás, carne vermelha aqui é artigo de luxo. No entanto, se come bastante peixe, marisco, lagostines, polvos... com pão, é claro. Fora isso, Madri é uma cidade maravilhosa, super cosmopolita e moderna. E os espanhóis, por serem latinos, são pessoas bastante acessíveis e comunicativas. Claro que não têm o nosso jeito escandaloso e barulhento, nem a nossa simpatia. Mas eles se beijam e se abraçam sem pudores. E é isso o que importa. Não é mesmo?

7 comentários:

Guilherme Fragas disse...

Huehueheue

Adorei o post! Você nem deve ter achado ruim o pessoal poder fumar em qualquer lugar né? JAJAJAJA (aprendi né?!) E também nem deve ter achado ruim o fato da bebida rolar solta né! JEJEJEJE

Ainda bem que o transporte público funciona, europa sao outros quinhentos!!

Quer dizer que os caras nem sao aquilo tudo que você esperava? Tá precisando conhecer as pessoas certas aí, com certeza você vai achar um chico!

Saudades Marietinha, aproveite muito aí!
Bjooo

Sara Silvaaaaaaaaa disse...

O minha amiga querida... fiquei até emocionada... que texto bom de ler!!!
É maravilhoso saber notícias suas e conhecer as peculiaridades desse país.
Estamos todos com saudades aqui nessa Brás-Ilha... rs


Adoro vc demais... curta bastante mesmo!!! E continue contando o que vc vê de diferente por aí... bobagem hein, até parece que vc não observa essas coisas né?!? Antropóloga-jornalista... núhhhhhh vai ser observadora assim lá longe!!!

Saudades demais!!

Bjão

Sarinha

A Riscar disse...

Mal posso esperar pra conhecer essa Madrid linda que voce descreve...

Saudade infinita. Infinita!

Beijos!

Sua amiga (que nao eh eterna, mas que eh pra sempre),

Tita.

Carol Lima disse...

ah não, se não tem carne, não tem graça. que triste.
fiquei realmente chateada que ai não rola muita carne... que sacanagem.

sobre fumar, como disse o fragas, será possível que vc está achando tão ruim?? :)

beijos querida!

the olcaz disse...

beleza de cronica. siga treinando. voce é da área.siga misturando observação aguda e ironia fina. beijos

the olcaz disse...

dona marieta, a senhora ficou nos devendo a legenda da bela foto que a senhora postou no alto da cronica. Onde fica aquele belo poste

Filha de Iemanjá disse...

Meu querido oldcaza, infelizmente seguirei devendo a legenda. Acontece que foi uma tarde à toa, em que saí perambualndo pelas ruas e praças dessa ciudad, e que não registrei nada. Pode ser qualquer uma delas. Esses belos postes são bem comuns por aqui.