sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Solar dos Cazarré



Um mix de retiro espiritual, intelectual, gastronômico e fitoterápico.

Lá você pode comer bem e beber muito! Aliás, você pode escolher entre cachaça, cerva, uísque, amarula, champanhe e vinhos (do porto, branco, tinto, rosé) todos os dias do ano. Além do mais, lá você também pode desfrutar a arte de fumar. Temos narguilê com diversos sabores de tabaco, cigarrilhas importadas, fumos de rolo, pitos de palha, cigarros nacionais e artesanais. Coisa fina. Manufaturada na hora.

O cardápio fica por conta da chef, uma gaúcha trilegal que sabe misturar ingredientes como ninguém. Com o domínio absoluto das colheres de pau, dos descascadores de batata, dos martelos de bife e do espremedor de laranjas, ela encanta a todos que provam de seus quitutes. E joga em todas as áreas: doces, salgados, saladas, grelhados, assados e drinks (Ph. D. em biritas!). É sempre uma experiência única. Explosões de sabor no céu da boca.

Na hora do almoço, impreterivelmente, há palestras e simpósios sobre a atual conjuntura política do Brasil e do mundo. Nessas horas, como que num passe de mágica, compreendemos todos os problemas e vislumbramos todas as soluções para um planeta melhor. É imperdível. Momento de expansão do conhecimento.

Agora, o que você não pode perder são as tertúlias noturnas. Elas têm hora para começar, mas não pra acabar. Só acaba quando os estoques (generosos) de substâncias que causam embriaguez se esgotam. Nessas reuniões os assuntos são variados. Fala-se de cinema, teatro, política, música, gastronomia... de tudo. De escatologia à filosofia. Importantíssimo para pessoas que vão fazer provas de conhecimentos gerais em concursos públicos! Aliás, essas provas são elaboradas a partir de nossas tertúlias.

Bom, isso sem falar nos diferentes ambientes que você poderá desfrutar: jardim de inverno “a la Frida Kahlo”, salão de TV climatizado (onde você poderá acompanhar todos os jogos do campeonato brasileiro e, pasmem, campeonatos mundiais de rúgbi e sumô), biblioteca com todos os clássicos da literatura russa, área externa com churrasqueira e frigobar (sempre abastecido com dezenas de garrafas de Bohemia) e quintal para as crianças. Imperdível.

E isso é só uma pequena amostra do que vocês encontrarão no Solar dos Cazarré. Convido a todos para desfrutarem de momentos inesquecíveis conosco.
Música, arte, lazer, gastronomia. Tudo isso em um só lugar!



7 comentários:

Marilda disse...

Quero me embriagar de conhecimentos no Solar dos Cazarré.
Leve consigo a recordação desse lar tão acolhedor para os momentos nostágicos em Madri. Isso vai te confortar e vai te lembrar o quanto é amada pelos seus.
beijos

Guilherme Fragas disse...

Olá Marietinhaa!!

Agora eu já posso dizer que conheci o Solar dos Cazarré e devo dizer que realmente o negócio lá é muito bom mesmo, quem não foi não sabe o que está perdendo!
Boa sorte pra você lá Madri, tudo de bom, muito sucesso, muitas felicidades e com certeza muita coisa boa espera por você lá!
Beijos minha companheira de trabalho!

A Riscar disse...

Ai, meu deus!

Eu assino embaixo do que disse minha fiel escudeira Etinha.

Devo a esse Solar algumas das melhores lembranças que carrego comigo.
Amizade, filosofia, amor, aprendizado, diversão, música, poesia, bate-papos místicos, e degustações inusitadas, improvisadas e maravilhosas!

Quanta saudade desse cantinho...
Da cerveja no jardim de inverno "a la Frida Khalo", com o cheiro do alho dourando ao fundo, a voz do Caetano cantando Estampa Fina, nossas cobeças borbulhando com invenções gastronômicas!

AMO você, minha amiga.
E mal posso esperar pra fazermos juntas uma paella autêntica!

Beijos, beijos!
PS: O texto tá ótimo!
Você parece ter amadurecido até pelo jeito que escreve!
Tá bom, viu, amiga? Muito bom.

Ju disse...

Ha, mas você acha que eu ainda não tinha lido? Mas parece que mesmo sendo eu dona de um, me esqueci de deixar aqui meu comentário nesse blog: que delícia, eta!
Que delícia!

Beijos,
muitas saudades de tudo isso,
e muito amor!

Ju disse...

Escreve, vai!

daniellegurgel disse...

Etinha,
Já deves ter chegado em Madrid... aqui hj é véspera de Natal, e eu espero que tenha sido bem acolhida aí, e que tenha uma noite natalina muito gostosa. Estamos todos torcendo muito por vc, viu? Gurgel-pai e Gurgel-mãe viram você na tv, no Festival de Cinema, e acharam a coisinha mais fofa do mundo. Quando bater saudades suas, vou lembrar com muito carinho dos momentos especias no Solar dos Cazarré. Bjos no coração, querida, e fique com Deus.
Dani

Adolfo disse...

Vivir sin Aire...


Cómo quisiera poder vivir sin aire?
¿Cómo quisiera poder vivir sin agua?
Me encantaría quererte un poco menos.
¿Cómo quisiera poder vivir sin ti ?

Pero no puedo, siento que muero,
me estoy ahogando sin tu amor.

¿Cómo quisiera poder vivir sin aire?
¿Cómo quisiera calmar mi aflicción?
¿Cómo quisiera poder vivir sin agua?
Me encantaría robar tu corazón.

¿Cómo pudiera un pez nadar sin agua?
¿Cómo pudiera un ave volar sin alas?
¿Cómo pudiera la flor crecer sin tierra?
Cómo quisiera poder vivir sin ti.

Pero no puedo, siento que muero,
me estoy ahogando sin tu amor.

Cómo quisiera...

¿Cómo quisiera lanzarte al olvido ?
Cómo quisiera guardarte en un cajón?
¿Cómo quisiera borrarte de un soplid?
Me encantaría matar esta canción.