terça-feira, 10 de junho de 2008

O reino das bicicletas


Eles eram dois e pequenos. Um deles, o mais clarinho, era menor. O outro, mais rápido. O objetivo era... matar a bicicleta.

Ela lá, toda roxa, reluzindo irritantemente.

Ele, o menor, é acometido por uma fúria destrutiva.

Dá pontapés com toda a sua força naquela bola amarela e redonda. Nem sempre acerta. Suas patinhas são pequenas ainda.

A bola vai em direção à bicicleta. Uma. Duas. Três. Dez vezes. Mas ela continua impassível. Parada no mesmo lugar. De pé. Inteira.

Então vem o mais rápido. Não apenas é mais veloz como também tem patas maiores.

Corre. Pega impulso e chuta a amarela. Uma e outra vez.

Até que se cansam.

E o reino das bicicletas volta a respirar tranqüilo.

2 comentários:

Sou a Ju disse...

Engracado demais... Por coincidencia, falava a uns dois dias com a minha irma sobre o silencio.
Lembrava que nunca me comuniquei com a minha vo usando palavras - ela morreu antes que eu aprendesse a usar a lingua dela.
A conclusao foi que nos comunicavamos muito bem com o silencio. E a parte boa disso e que, inclusive agora, havendo silencio, ha grandma Carol!
Bem, essa e minha historinha de silencio e familia.
hehe.

Beijos amadona, muitas saudades, e ate logo!

Sou a Ju disse...

Postei o comentario no post errado, hehe. Voce entendeu, ne?
Lindona, eu to esperando uma resposta do mestrado pra comprar a passagem - so preciso saber ate quando eu posso ficar ai, sabe? Mas essa semana eu pressiono mais um pouquinho la!
Beijos, amada!