quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Ser leve


Havia decidido ser leve. Para ser bom, tinha que ser leve.

Pouco a pouco foi se desfazendo de tudo aquilo que pesava.

Deixou pra trás muitos quilos de lembranças.

Parou de comer. Parou de beber. Parou de falar, de ouvir, de pensar.

Foi ficando leve, levinho...

E seco.

Foi desidratando, tornando-se mirrado.

Quando se deu conta, havia transformado-se em uma enorme folha de papel colorida.

Entendeu.

Dobrou-se.

Fez, de si mesmo, um balão.

Subiu... voou... foi... leve.

Um comentário:

Giselle disse...

Achei umas fotos muito ótimas da nossa adolescência! Vou ver se escaneio...sim, elas são analógicas!

bjão linda! Tô sempre aqui de olho nos seus textos

bjo Gi