terça-feira, 23 de setembro de 2008

Madrid e os madrileños

Dados demográficos, geográficos e populacionais

Clima:

No verão, faz calor. No outono, as flores caem. No inverno, faz frio. Na primavera, as flores nascem e o ar primaveril contamina os corações.

Geografia:

Cidade bombardeada durante a Guerra Civil, portanto, apesar de muitos prédios antigos, predominam as construções recentes. Aliás, a cidade vive em obras. Algumas avenidas largas, mas o encanto está nas pequenas ruas.

População:

Alguns poucos milhares de espanhóis e muitos milhares de equatorianos, brasileiros, chineses, colombianos, bolivianos, peruanos, chilenos e afins.

Vida noturna:

Se caracteriza por pequenos bares com muita fumaça e muito barulho. Em geral, fedem a cerveja e jamón. Servem porções de azeitona, batata, pão, queijo, embutidos e um pouco mais. Ah, cerveja e vinho também.

Flamenco:

Ritmo (música e dança) trazido pelos ciganos que, apesar de espanhóis, não são reconhecidos como tais.

Ciganos:

Povo sem origem definida. São reconhecidos pelos longos cabelos negros e sedosos, correntes de ouro, dentes de ouro e fivelas de ouro. São barulhentos, podem te assaltar e cantam ou dançam flamenco.

Madrileños:

Povo simpático ou não. Em geral bebem e fumam muito, além de falar muitos palavrões. São exagerados e, nesse aspecto, se assemelham aos paulistas. “Madrid é a melhor cidade da España, aqui se come o melhor jamón, a melhor caña, o melhor vinho, as melhores azeitonas...” Ah, e se identificam pelos bairros de origem. Igual à Sampa!

Gastronomia:

Tortilla de batata, vulgo omelete. Pão, azeitona e vinho ou cerveja (depende da estação do ano). Comem também calamares, boquerones, pulpos, paella, cocido e mais pão.


Hábitos:

Estão habituados ao top less, à tortilla, à siesta, ao flamenco e ao álcool.

3 comentários:

Giselle disse...

Etinha saudadeeeeees!

Entro aqui pra contactar você, não esquente com esse lance de inspiração. Escreva qualquer coisa, qualquer idioma. Eu penso nos seus dedos digitando, tudo bem?

Amoreco!A Dani é uma feliz funcionária pública, ganhando bem e comprando sapatos caros!! Todos aqui em casa te amam muito e sentem saudades! Eu mais que todos, essa minha saudade muda e velada!

Bjim da Gi

Sou a Ju disse...

Eba!!!
Agora eu ja conheco um pouquinho disso ai, ja comi tortillas, fiz topless, ingeri alcool e ouvi flamenco! Tudo isso com uma guia experta!
Saudades, linda!

Beijos grandes,
Ju

Rafael disse...

Olá Marieta,
Me desculpe. Vc não me conhece, mas sua perspicácia, sensibilidade, inteligência, beleza, etc, arrebataram "mi pobre corazón". Não pude resistir e escrevi um poema para vc. Espero apenas q ele desperte alguma emoção positiva ou um sorriso no canto dos lábios.

rafael.unb.unb@gmail.com

-----A POEM FROM RAFA TO MARIETA---


Time ...

It’s time ...

It’s time to take the risk.
It’s time to say something true.
The sky of Brasilia is blue.

The emptiness of a soul inside my cup of coffee.
My cup.
Cup…
It’s time to wake up.
Wake up from a dream
And tell her.
Tell her what?
Tell what you feel inside.
Whatever comes to your mind.
Feelings.
They don’t make sense at all.
But you have to break this wall
That separates you from her.

I wish I could talk to you in person
But then I’d have to write this poem a new version.

I wish I could touch your soft skin.
I wish your heart I could win.

I wish I could hold you tight.
I wish with you I could spend a night.

I would love you the much as I can,
But, please, forgive this humble and passionate man.