terça-feira, 16 de setembro de 2008

Um caminho


Para aquela garota, de alguma forma, aquele era um momento de ruptura, de cambio. Só que era um momento diferente... Não era um momento, momento. Era uma sucessão de curtos e longos momentos que não acabava.

Era como se aquele ano passasse em etapas, em que os objetivos iam mudando a cada obstáculo vencido. Era como se o “destino” estivesse provando suas possibilidades... Como uma criança que experimenta até onde pode chegar.

Era uma avalanche de acontecimentos que iam empilhando-se uns aos outros e criando sempre uma nova realidade, um novo momento.

“Não sei onde eu tô indo, mas sei que eu tô no meu caminho.” Raul.

Um comentário:

Sou a Ju disse...

Eu nem sempre sei disso antes, mas certamente depois de cada fase e sempre: isso ai, to aqui porque vim de la!

Saudades lindinha, quero saber como estao as coisas por ai!
Aqui, meio gitana ainda, sem casa pra morar, lugar pra quietar. Assim que eu tiver um ninhozinho te aviso, mando o endereco, e a gente conversa por skype, certo mano?

Beijos imensos!
Eu tenho certeza (e orgulho em saber) que voce esta, definitivamente, no seu caminho!