segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Magia


Magia não é coisa de bruxos, de magos, de feiticeiros ou nada parecido. Fazer magia não consiste em transmutar elementos, em transformar o chumbo em ouro. Isso é só uma metáfora que encanta alguns e que a afasta da vida cotidiana.

Como diria um velho bruxo amigo meu, magia é mudar as ordens sem causar desordens.

Magia é escrever uma carta, acender uma vela, piscar um olho, olhar pra dentro, dar calor, cantar, suar, falar, lembrar. É música, é beleza, é amor.

A magia é tudo isso que a gente lança pra fora. Todo mundo faz magia, mesmo os que não são conscientes de tal feito. A diferença está na intenção. Os tolos, anônimos, lançam faíscas sem dar-se conta que de tudo o que vai, volta. Os bons, lançam flores e poesia, cientes de seu retorno.

3 comentários:

Santi Moskito disse...

Eu gostaria de pensar que é verdade isso ultimo, e eu comporto como se fossem, mas eu tenho dúbidas. Muitas vezes você ten que acreditar en uma justiça postmortem si quer estar tranquilo sobre asunto, e lamentavelmente eu não acredito nesse tipo de justiza. Você posse olhar issos tolos (ou máos, mesma coisa) , admirados por o povo, ou dirigendo naciões, como modelo de bondade, ainda envidiados, ou ricos. E temo que por vezes eles são até felices.
E você tem que ser uma poderosa bruxa para fazer a magia que me faga crer que existe uma magia que faz retorno justo a issas duas magias de tolos e bons respetivamente.

Abracadabra!

(Desculpeme por o meu portuñol)

Tio Juarez disse...

Adorei essa. Simples e boa. E nos dá esperança de que as flores que lançamos por aí voltem. Acho que já estão voltando. Uma ou outra vem com espinho...

Grande beijo

Anônimo disse...

gostaria de acreditar em magia. mas, quando ainda era um feto, a cegonha que me carregava no bico não passou pela fila em que entregavam fé. mas achei legal o seu delírio psicodélico, riponga.