sábado, 1 de novembro de 2008

Minha pequena

Minha pequena,

Quero que me contes tudo.

Me conta as tuas penas para que eu possa te consolar.

Consigo imaginar sua carinha rosa, seus olhinhos se fechando, as pequenas lágrimas escorrendo até os lábios. Nunca me esquecerei daquela noite: “Pai, são docinhas. Eu gosto de lágrimas”.

Minha pequena, enquanto eu viver, não estarás sozinha nesse mundo.

Você é tudo o que possuo de mais lindo e meigo. Não posso admitir que sofras. Se algum homem te magoar, volte pros braços do teu velho pai.

Quero poder estar ao teu lado sempre que essas gotinhas doces escorrerem pelo teu rosto.

E te consolar. Enquanto eu viver...

Um comentário: